Unidade 4:

Rede de Enfrentamento/Atendimento


Olá, colegas!

Nesta quarta unidade, você conhecerá melhor a atuação das instituições que compõem a rede de enfrentamento à violência doméstica e familiar. O objetivo de aprendizagem é compreender a articulação das instituições no que diz respeito ao combate à violência contra as mulheres.



Onde buscar ajuda?

Quem compõe as redes de enfrentamento e atendimento às mulheres?

Quais são os objetivos da rede?



Esses são os questionamentos que esclareceremos nessa aula.


A rede de enfrentamento à violência doméstica e familiar objetiva articular as instituições governamentais, não governamentais, serviços governamentais, ONGs e a sociedade como um todo, para cumprir as três frentes de atuação pelo combate à violência, previstas na Lei Maria da Penha e na Política Nacional de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres, que são:

a) punição do agressor;
b) proteção integral da mulher em situação de violência;
c) prevenção e educação sobre o crime de violência doméstica e familiar baseada no gênero.


A rede de atendimento à mulher em situação de violência doméstica e familiar está inserida dentro da rede de enfrentamento e objetiva atender a mulher em situação de violência em todas as frentes necessárias para promover a sua proteção integral. A rede de atendimento à mulher em situação de violência doméstica e familiar está dividida em quatro principais áreas:

a) saúde,
b) justiça,
c) segurança pública e
d) assistência social.

Ao estabelecer a diferenciação entre os dois tipos de redes e seus objetivos, passamos para a composição de cada tipo de serviço da rede. O primeiro é o serviço de atendimento não especializado de atendimento à mulher em situação de violência, que na maioria das vezes é o primeiro auxílio que a mulher busca na rede. Já os serviços especializados de atendimento à mulher são aqueles que possuem expertise no tema da violência contra as mulheres, detalharemos a atuação do Núcleo Especializado de Defesa e Promoção dos Direitos da Mulher (NUDEM) da Defensoria Pública do Estado de Goiás; a atuação da Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) e a atuação do Ministério Público perante a Lei Maria da Penha.



A rede foi projetada para atuar de modo multidisciplinar e conectada entre si, pois é visivelmente necessário essa ligação para que os objetivos gerais sejam alcançados.


Assista agora à vídeo-aulas acerca da atuação destas instituições:






















































































Informamos que nosso encontro síncrono (destes temas) será realizado pela plataforma Zoom, no dia 02/12/2021, às 16:30.  Para acessá-lo, é só clicar no botão a seguir: